deutsch  français  italiano  english  español  contact + info

Dario Läuppi Como manter e recuperar a saúde - algumas considerações (com recomendações de livros)

Com a EAV pode ser feita uma avaliação aprofundada das funções atuais de saúde que fica em contextos mais amplos, existem várias explicações e soluções:

● Abordagem imunológica: uma boa resposta imune do organismo é fundamental.

● Abordagem da medicina evolutiva: Esta se dedica a história da evolução humana durante milhões de anos, como se desenvolveu o Homo sapiens e como os vigorosos, os saudáveis e os felizes sobrevivem. Dica de leitura: Daniel E. Lieberman: A história do corpo humano - Evolução, saúde e doença* – é interessante que o autor fala no contexto histórico sobre o impacto dos estímulos excessivos ou insuficientes (cf. com os estados de inflamação ou esgotamento das avaliações individuais atuais da EAV)

● Abordagem genética: Também é interessante que somente dois por cento dos genes são diferentes daqueles dos parentes mais próximos do ser humano, os primatas. Isto levanta a questão: Por que investir tanto nos testes genéticos quando estes a) na maioria dos casos, só permitem prever a probabilidade de uma manifestação de doenças genéticas e b) representam literalmente uma procura moderna da agulha num palheiro (digital)? Além disso, a epigenética estuda concretamente os fatores de ativação / supressão das sequências de genomas em nosso mosaico genético e quais fatores ambientais e alimentícios têm um papel-chave e podem ser influenciados ativamente. Muitas vezes mantemos, consciente ou inconscientemente, hábitos prejudiciais à saúde e justificamos as consequências dizendo “isso é genético, porque outros membros da família já tiveram isso”.

● Sobre a questão da nutrição mais favorável: Informações sobre as práticas alimentares tradicionais nos âmbitos regionais ANTES da invasão da indústria alimentícia podem evitar discussões polêmicas. Dica de leitura: duas obras clássicas a) Albert von Haller em alemão e b) Weston A Price em inglês

Tratamentos invasivos / não invasivos: Mesmo se foi investido de maneira maciça no desenvolvimento de diagnósticos por imagem – indiretamente graças ao enorme sucesso dos Beatles já antes de ter fundado a própria gravadora Apple (Goodman 2010) – e por conseguinte, mais detalhes anatômicos se tornaram visíveis, isso não significa que uma intervenção cirúrgica imediata seja imperativa e inadiável para remover / fixar / transplantar automaticamente todas as variedades anatômicas, devido a um segundo achado de imagem após uma otimização das funções do organismo através de um tratamento direcionado e baseado no diagnóstico EAV, é possível resultar em uma regressão destas variedades sem recidiva e em um prognóstico favorável. Também com os exercícios de Feldenkrais (lema: não forçar os movimentos) pode-se descobrir a fluidez corporal para, por exemplo, tirar tensões, dores, desconfortos das costas e dos joelhos, quadris, ombros (Dica de leitura: Consciência pelo Movimento).
Os pioneiros Reinhold Voll (que vivia durante décadas com uma sonda urinária permanente, antes foi submetido a intervenções cirúrgicas sem sucesso) e Moshe Feldenkrais (que encontrou uma maneira que seu joelho, gravemente ferido num jogo de futebol quando era jovem, ficou funcional sem intervenção cirúrgica “imprescindível” – mais tarde, ele recebeu como primeiro europeu a Faixa Preta em judô) que criaram, independentemente um do outro, fundamentos do conhecimento sobre as possibilidades de como estimular a autorregulação de seres humanos. Este conhecimento é acessível e pode ser posto em prática sob orientação de diagnosticadores e terapeutas experientes. A grande vantagem desses métodos consiste no fato que ambos contribuem substancialmente para a prevenção e regeneração e podem nomeadamente diminuir possíveis danos iatrogénicos bem conhecidos ANTES de iniciar um tratamento. Às pessoas com problemas visuais se pode adicionalmente recomendar exercícios conforme o método Bates (Dica de leitura: Visão perfeita sem óculos). Para tratar traumas e bloqueios psicológicos, Viktor Frankl desenvolveu (baseado nas experiências vividas durante sua internação num campo de concentração) uma terapia breve que integra também um humor respeitoso; vale a pena ler suas obras e as de Paul Watzlawick. Todos esses métodos com diferentes abordagens, aos quais se pode tranquilamente acrescentar a meditação tradicional, melhoram a agilidade de corpo e mente (neuroplasticidade). Outros métodos de tratamentos não invasivos e não traumáticos tampouco deveriam causar dependências físicas ou psíquicas e cumprir alguns dos seguintes critérios:

Manter e recuperar a saúde tem muitos aspectos:
   a) garantir a maior independência possível,
   b) assumir a responsabilidade para seu próprio corpo (e até um certo grau também para aqueles dos seus amados),
   c) trabalhar em parceria com terapeutas que têm empatia e boa vontade que
      c1) ficam também atentos aos sintomas precoces e
      c2) dão o espaço para um tratamento individual das questões pessoais e
      c3) evitam subtratamentos e supertratamentos,
   d) disponibilizar-se para um aprendizado orgânico.
Finalmente, cerca de 70% das doenças que são tratadas podem ser evitadas (Russo 2011).

Tudo isso resumido para as pessoas mais novas: Com as boas práticas descritas acima, o próprio corpo pode funcionar de modo mais eficaz e harmonioso, tirar o peso da mente e então é possível investir na própria inteligência (em vez da artificial) e numa qualidade de vida autodeterminada (e não pelos outros). Em vez de ficar distraído o tempo todo ou tentar entender sintomas assustadores (olá, Dr. Internet!) pode-se promover uma abordagem integral da consciência do corpo. Mais uma pergunta aos adeptos de teorias de conspiração: Aqueles são considerados “muito espertos” que investem de forma proveitosa em ciclos de capitais de várias indústrias (de alimentos, bebidas, fumo, farmacêuticos, hospitalar etc.) cujos produtos consumidos em excesso, primeiro primeiro são um risco para a saúde e, em seguida, só aliviam sintomas - é possível, que alguns Homo oeconomicus, aparentemente felizes. estão dispostos a subordinar tudo as suas exigências financeiras? Realmente tudo?

Fontes:
Goodman L. The Beatles, the Nobel Prize, and CT Scanning of the Chest, Radiologic Clinics of North America Jan 2010
Russo, P. “Population health” in Health Care Delivery in the United States. New York, Springer, 2011, p.85-102)

* em relação à edição de Rio de Janeiro de 2013: para facilitar a compreensão ao ler esta tradução sugiro substituir retroalimentação por autorregulação (no texto original em inglês feedback) porque no livro se fala em outros contextos muito de alimentos, alimentar-se, alimentação
.
© Dario Läuppi (Version 12/2020) ®

 index